Sumário completo

Sumário completo original

INTRODUÇÃO.. 18

.................. OBJETIVOS DA PESQUISA. 20

1 ............... COCRIANDO CENÁRIOS PARA O BIOTECHNOSWARM.. 21

1.1                  ABALOS NA INTENSIDADE DOS FLUXOS. 26

1.2                  MULTIDÕES À DERIVA DE PROJEÇÕES. 27

1.3                  CULTURA PERMANENTE NAS INTERFACES. 32

1.4                  A CAPACIDADE ADAPTATIVA E A RESILIÊNCIA. 36

1.5                  O ANTROPOCENO UM BEM COMUM.. 40

1.6                  PACHAMAMA E OS DIREITOS DA NATUREZA. 44

1.7                  A INTELIGÊNCIA DO ENXAME. 47

2        .............. MECANISMOS CIBERNÉTICOS NA PARTICIPAÇÂO POLÌTICA. 54

2.1                  OBSERVAÇÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA PESSOA COMUM.. 58

2.2                  DILEMAS DAS INSTITUCIONALIDADES PARTICIPATIVAS. 67

2.3                  OS ESPAÇOS ANTROPOLÓGICOS DA INTERAÇÂO EM REDE. 71

2.4                  MUNDOS POSSÍVEIS LONGE DOS GRANDES CENTROS. 74

2.5                  O PARADIGMA NO SERVIÇO PÚBLICO TOTAL. 77

3        .............. AS PLATAFORMAS DE EXECUÇÃO DE NEGÓCIOS DIGITAIS. 83

3.1                  NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS VIRTUAIS. 85

3.2                  AS REALIDADES MECANIZADAS DOS JOGOS SOCIAIS. 87

3.3                  REFERENCIAIS DE BOAS PRÁTICAS DE E-GOVERNO.. 91

3.3.1                Quando as pretensões são mundiais. 91

3.4                  CONSULTAS PÚBLICAS SOBRE POLÍTICAS DE GOVERNO.. 93

3.5                  TI NA REGULAÇÃO DAS ÁGUAS BRASILEIRAS. 94

3.5.1                Potencial de bases de dados online da ANA. 97

3.6                  LABORATÓRIOS AMBIENTAIS DE CIÊNCIA ABERTA. 100

3.7                  EMPRESAS CONECTANDO AS PESSOAS DAS ÁGUAS. 102

3.8                  OS LIMITES AO ACESSO.. 103

4        .............. METODOLOGIA. 105

4.1                  ASPECTOS METODOLÓGICOS. 107

5        .............. RESULTADOS E DISCUSSÕES. 112

5.1                  AS ORGANIZAÇÔES ASSOCIATIVAS CIBERNÉTICAS. 112

5.2                  OS ESCRITÓRIOS DA RESILIÊNCIA HÍDRICA. 114

5.2.1                Estratégia de inovação em sustentabilidade hídrica. 116

5.2.2                Esquema para avaliação hídrica de impacto em biodiversidade. 119

5.2.3                Temas de monitoramento e adesão. 122

5.3                  EXPERIÊNCIAS SENSÍVEIS DE ENTRELAÇAMENTO.. 124

5.3.1                Reconhecimento territorial de Porto Feliz, SP. 126

5.3.2                A Comunidade de Aprendizagem das Águas. 133

5.4                  A PLATAFORMA DIGITAL DAS ÁGUAS. 138

5.4.1                Possibilidades de uso e divulgação dos comuns. 144

5.4.2                Informaçôes sobre o uso da plataforma ÁguasML. 150

5.4.3                Cultura de conversação no chat ÁguasML. 158

5.4.4                ÁguasBot – conversando com as águas. 160

5.4.5                Ambiente digital de interação e aprendizagem.. 162

5.4.6                Outros componentes da plataforma ÁguasML. 165

6        .............. CONSIDERAÇÕES FINAIS. 173

.................. REFERÊNCIAS. 177